sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Cartas para L.


L.,
Acho que esse vai ser mais um texto que eu vou te escrever e nunca vou te mostrar...
Não sei quantas vezes eu já disse para todos "Eu não gosto mais do L.!", mas algumas vezes eu acho que eu não queria convencer os outros disso e sim EU mesma.
Posso não sentir mais aquele AMOR, mas ainda sinto que mesmo assim sobrou uma semente, que toda vez que recebe atenção ela cresce um pouco e quando vc me abandona por um tempo ela diminui.
Assim o que eu sinto fica estagnado, nem aumenta, nem diminui.
Todo momento que vc me dá atenção, eu fico com um sorriso bobo na cara, mesmo que vc só esteja pegando naquele fiosinho de cabelo que transporta o calor do seu toque para o meu pequeno coração que estava congelado, derretendo uma parte desse gelo.
Com o tempo aprendi a controlar(ou não?) os momentos dessas "recaídas". Antes eu ficava abatida, triste, mas agora eu me expresso escrevendo, fazendo com o que está acontecendo se transforme em alguma história ou até mesmo este texto que estou escrevendo agora.
"Como são essas recaídas?"Você deve estar se perguntando, mesmo sabendo que só está perguntando por curiosidade eu irei te responder.
Alguns momentos do meu dia, eu fico pensando em nada e ao mesmo tempo tudo, quando, de repente os meus pensamentos param em você e fica, mesmo eu não querendo. Eu luto para parar de pensar em vc e mudar para algo que me entristessa, assim, para me libertar escrevo e quando acabo instantaneamente me sinto mais leve ou quem sabe livre...
Com carinho


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Faça a alegria dessa escritora!
Poste um comentário, mas... tenho algumas regrinhas
*nada de xingamentos
*se for criticar, apenas críticas construtivas
*coloque o link do blog para eu poder te visitar
Arigato